Corretores de Imóveis

Quanto ganha um corretor de imóveis? Descubra neste post!

Profissionais que estão ingressando na carreira de corretor de imóveis ou que estejam sonhando com ela sempre se questionam se ela é financeiramente atraente. Na verdade, por lidar com transações de alto valor, até mesmo quem não tem interesse na área faz essa mesma pergunta.

Bom, a verdade é que o ganho pode ser bem atraente e está diretamente relacionado à qualidade e ao volume de trabalho do profissional. Ou seja, é justo com aqueles que se esforçam mais, procuram novos conhecimentos e melhores opções para seus clientes.

Quer saber como funciona a remuneração desses profissionais e como trilhar um caminho de sucesso, que traga conforto financeiro? Confira neste post.

Variáveis do pagamento de um corretor de imóveis

O primeiro ponto a se considerar é que a principal remuneração do corretor está em sua comissão sobre as vendas. Além disso, existem imóveis com valores venais maiores, assim como com maior complexidade de venda.

Em outras palavras, a porcentagem da venda pode variar conforme o tipo de imóvel, a dificuldade de efetuar a venda e o valor do bem, sendo que o teto máximo é de 6% do valor da negociação.

Também existe uma diferenciação em relação aos ganhos, considerando a existência ou não de um vínculo empregatício com a corretora de imóveis. Para ficar mais claro, veja detalhadamente cada uma dessas possibilidades.

Remuneração de um profissional autônomo

É importante fazer aqui um comparativo com outras profissões no mercado e até mesmo com outros tipos de vendedores, já que é comum que eles tenham um salário fixo e outra parte variável, ou comissão sobre a venda.

No caso do corretor de imóveis autônomo, essa relação de trabalho é totalmente diferente. Ele trabalha por conta própria e é responsável por todas as despesas de sua atividade, assim como é o único beneficiário de sua comissão.

Assim, despesas com telefone, aluguel de sala comercial, internet, carros, publicidade e demais valores necessários para atrair clientes e fechar vendas são deduzidos de seus ganhos.

Outro peso importante para os corretores é que eles ganham pelo que produzem. Assim, enquanto um corretor de imobiliária ou construtora possui sistemas, infraestrutura e outros funcionários para dar andamento ao negócio, o profissional autônomo precisa dedicar parte de seu tempo à gestão de seus clientes.

Isso inclui buscar novos imóveis no mercado para sua cartela de opções, fazer contatos frequentes para ganhar novas indicações, promover anúncios físicos e pela internet, estudar novos métodos de financiamento, entre outros.

Se em um primeiro momento tais demandas parecem restringir os ganhos desse tipo de corretor, é importante dizer que a autonomia desse profissional pode oferecer muitas oportunidades para que ele conduza suas abordagens e vendas com seu próprio estilo e personalização.

Além disso, algumas parcerias, inclusive com outras corretoras de imóveis, construtoras e corretores independentes podem fortalecer suas opções e vendas.

Dica para o corretor autônomo

Uma gestão financeira é essencial para o sucesso da carreira. Saber quais são as despesas fixas e fazer uma reserva que permita cobrir tais custos para os meses com baixa conversão de vendas é primordial.

Isso garantirá que ele continue a fazer prospecções sem ter que pegar empréstimos com juros altos para quitar contas dos serviços são essenciais para sua atuação.

Remuneração de um corretor contratado

Se o autônomo tem que arcar com todas as suas despesas, para o corretor de imobiliária a situação pode ser um pouco diferente. Algumas delas, por exemplo, possuem até mesmo veículo próprio para que o corretor utilize durante as visitas de imóveis.

Mas as despesas individuais, inclusive conta de celular, são de responsabilidade do corretor. A grande questão é que para isso ele possui um salário básico que o auxilia a quitar tais consumos.

A comissão de vendas, no entanto, não fica integralmente para o corretor. Nesse caso, entra em ação a taxa de corretagem, em que seus ganhos são repartidos proporcionalmente para diferentes profissionais na hierarquia da corretora.

Mas para que seja justo, assim como o autônomo, o corretor de imóvel com carteira assinada tem chances de aumentar seus ganhos da mesma maneira, ou seja, vendendo mais e melhor.

Dica para o corretor de imóvel contratado

Se a comissão é reduzida, a melhor contrapartida é que clientes e empresas com imóveis mais caros acabam confiando suas compras e vendas para as empresas consolidadas no mercado.

Assim, atuando nas corretoras de imóvel, é possível trabalhar com casas, lojas, lotes e demais tipos de negócios com maior valor. Se tais vendas são concluídas, a comissão, mesmo reduzida, acaba sendo maior.

Um bom exemplo é o caso de um apartamento básico no valor de R$200 mil. A comissão máxima de 8% que o corretor autônomo receberia seria de R$16 mil, e ele teria que abater uma parte com suas despesas.

Porém, pelo mesmo esforço de venda, mas em um imóvel com valor superior, o corretor contratado pode receber uma comissão duas ou três vezes maior, sem necessariamente ter que abater muitos custos de manutenção.

Isso, no entanto, não exclui a importância de o corretor de imóveis contratado também fazer uma poupança com valores que garantam sua tranquilidade financeira nos meses com pouca ou nenhuma venda.

Sem um custo mensal garantido, o vendedor pode se sentir pressionado e, por esse motivo, não conseguir fechar tantas vendas quanto gostaria, o que acaba formando uma bola de neve.

Outros ganhos

Também é possível faturar com aluguéis e administração de imóveis. No caso do primeiro, é possível receber uma porcentagem do valor da parcela ou o pagamento integral da primeira cobrança do inquilino, por exemplo.

Para a administração de imóveis, o corretor pode receber um valor entre 5 e 10% do valor do aluguel recebido.

Mais do que saber quanto ganha um corretor de imóveis, é preciso conhecer quais variáveis afetam seus pagamentos e, principalmente, quais estratégias e ferramentas podem ajudar o profissional a faturar mais.

Isso fica claro ao identificar que, apesar das diferenças entre um corretor de imóveis autônomo e outro contratado, o que realmente influencia seus ganhos são suas estratégias de abordagem e relacionamento com seus clientes.

Quer conhecer algumas dicas para a gestão de clientes? Então, curta agora mesmo nossa página do Facebook e fique por dentro de todas as nossas atualizações.

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Faça uma simulação e financie até 82%