Mercado Imobiliário

Conheça 7 tipos de imóveis e suas diferenças!

Sem tempo para ler? Que tal ouvir esse texto?

Quando pensamos em comprar um imóvel, muitas dúvidas vêm à nossa mente. O tipo de financiamento adequado à compra, o valor ideal para dar de entrada, a localização do imóvel etc. Contudo, muitas pessoas deixam de analisar os tipos de imóveis que estão disponíveis no mercado.

Talvez você ainda não tenha parado para pensar sobre o assunto, mas existe uma quantidade impressionante de imóveis. Cada uma dessas opções oferece alguma qualidade ou atende a uma demanda do morador.

Para ajudá-lo a escolher o imóvel ideal para a sua compra, preparamos este artigo completo sobre o tema. Boa leitura!

1. Sobrado

O sobrado é uma edificação com no mínimo dois andares. Trata-se de uma opção imobiliária comum no Brasil, pois apresenta um imóvel espaçoso e funcional que aproveita a metragem do terreno.

É comum que alguns imóveis ganham novos pavimentos com o passar dos anos. Por isso, algumas pessoas compram imóveis térreos com a intenção de transformá-los em sobrados. Caso esse seja o seu desejo, tome cuidado. É muito importante verificar se o imóvel tem uma fundação resistente e vigas bem distribuídas para suportar o peso extra.

2. Casa geminada

Essa é uma das opções mais populares entre os tipos de imóveis comercializados pelas construtoras, porque apresenta um bom aproveitamento do terreno. Nessa categoria de imóvel, duas casas, do mesmo modelo, são unidas por uma parede.

Tratam-se de residências individuais, nas quais os moradores não têm acesso à propriedade vizinha. O fato de elas compartilharem uma parede é para reduzir custos com a obra e ter agilidade no processo de construção.

A principal vantagem das casas geminadas é o preço. Para quem está em busca do primeiro imóvel, é importante esclarecer que essa variedade de residência costuma custar menos do que as outras opções disponíveis.

A desvantagem principal está relacionada à acústica. Por dividirem uma parede, alguns projetos não conseguem apresentar uma solução para a redução de ruído, fazendo com que vizinhos se incomodem com os barulhos uns dos outros.

3. Loft

Na década de 1950, antigos galpões industriais foram perdendo utilidade nas grandes cidades europeias e depois estadunidenses. Normalmente, esses galpões tinham excelente localização porque, no passado, as regiões industriais ficavam no centro das cidades — ao contrário de hoje, em que se localizam nos subúrbios.

Por isso, muitos galpões acabaram sendo adaptados, virando moradia, preservando suas características estruturais. Um loft apresenta um espaço amplo e contínuo, sem a divisão dos cômodos por paredes.

Essa característica fez com que esse tipo de imóvel se tornasse muito popular nos Estados Unidos. Com o passar do tempo, construtoras investiram em imóveis “de estilo loft” que são propriedades planejadas para se parecerem com os primeiros lofts, mas que nunca foram usadas pela indústria.

Devido às suas qualidades, os lofts são imóveis que costumam ter preço elevado.

4. Bangalô

Algumas pessoas usam a palavra “bangalô” de forma depreciativa, referindo-se a imóveis de pouco valor estético ou financeiro, normalmente localizados no litoral. Trata-se de um erro que deve ser evitado.

As residências em estilo bangalô surgiram na Índia, na década de 1930, quando esse país estava sendo colonizado pela Inglaterra. Os ingleses construíam casas com no máximo dois pavimentos, com grandes varandas e um jardim.

No Brasil, os primeiros bangalôs foram feitos no Rio de Janeiro. Talvez por isso esse tipo de imóvel seja associado à praia. É importante esclarecer que os bangalôs originais eram feitos de madeira.

Antigamente, os bangalôs eram casas pequenas, mas, atualmente, existem grandes imóveis em estilo bangalô.

5. Edícula

Esse é um outro termo que costuma ser usado de forma errada. Originalmente, as edículas eram pequenas casas, complementares à residência principal. Por exemplo: uma casa próxima à piscina de uma grande propriedade. Nesse exemplo, a edícula não era a residência oficial dos moradores, mas dispunha de cozinha, banheiro e quartos para garantir a sua funcionalidade. Por isso, as residências dos funcionários normalmente eram edículas.

Contudo, esse conceito foi mudando e hoje temos casas em “estilo edícula”. São imóveis pequenos, localizados no final de um terreno. Elas são recomendadas para pessoas que não querem direcionar toda a metragem do terreno para a construção de uma casa.

Em algumas regiões do Brasil, edícula é sinônimo de meia-água. Em outros lugares, a palavra “edícula” refere-se a um pequeno altar criado para os santos católicos.

6. Quitinete ou Kitnet

São espaços que priorizam a funcionalidade. As quitinetes são ideais para pessoas que moram sozinhas, estudantes universitários ou indivíduos que estão buscando praticidade e economia. Nesse tipo de opção imobiliária, o morador conta com cozinha, quarto e banheiro. A cozinha costuma ser ampla, para que seja utilizada também como sala de jantar.

O banheiro, anexo ao quarto, transforma-se em suíte. A lavanderia pode ser um pequeno espaço ligado à cozinha. Apesar de ser uma opção com poucos metros quadrados quando comparada a outros tipos de imóveis, é importante esclarecer que as quitinetes são confortáveis.

Outro ponto interessante desse tipo de moradia é a localização, pois normalmente estão próximas aos centros universitários, supermercados e estações de metrô. É muito comum ver quitinetes em forma de apartamentos, mas isso não é regra. Existem modelos de quitinetes em grandes terrenos, nos quais todas as casas estão no térreo.

7. Flat

A ideia de morar em um flat é para ter acesso a serviços como limpeza, lavanderia, portaria e refeições semelhantes aos de um hotel. Por isso, esses locais costumam ser um pouco maiores do que um quarto comum.

São ideais para executivos ou pessoas com uma rotina bastante corrida, que costumam visitar muito a mesma cidade. É importante frisar que os flats são opções que possuem um custo elevado e estão direcionadas a um público de grande poder econômico.

Como vimos neste artigo, são muitos os tipos de imóveis disponíveis no mercado, e é importante conhecê-los para pesquisar a melhor opção imobiliária para você. Cada uma dessas opções pode resolver a sua necessidade quando o assunto é moradia.

Se você gostou deste artigo, curta nossa página no Facebook para não perder os próximos posts sobre o mercado imobiliário.

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Faça uma simulação e financie até 82%