Mercado Imobiliário

Aprenda agora a fazer parcerias imobiliárias!

Você também pode ouvir esse texto.

Você já deve ter ouvido um ditado popular que diz o seguinte: “Se quer chegar mais rápido, ande sozinho. Se quer chegar mais longe, vá em grupo”. Alguns corretores imobiliários entenderam que fazer parcerias imobiliárias pode ser uma forma de fortalecer as vendas, chegando mais longe na profissão.

No entanto, esse assunto ainda gera muitas dúvidas. Por isso, resolvemos escrever um artigo com todos os detalhes presentes nesse tipo de parceria profissional.

Se você quer entender sobre o assunto, leia o artigo até o final!

Parcerias imobiliárias: o valor da informação

Na prática, a grande vantagem de fazer parcerias imobiliárias é ter acesso a fontes de informação variadas e espalhadas por toda a cidade. É muito difícil para um corretor conhecer todas as oportunidades que existem em uma região, mapeando pessoas interessadas em comprar imóveis e verificando proprietários que querem vender.

Por isso, muitos profissionais se juntam, criando redes de contato que se apoiam, gerando oportunidades de vendas.

Participando de um grupo

Uma das formas mais comuns de fazer parcerias imobiliárias é procurando antigos colegas de trabalho. É muito importante que os corretores confiem uns nos outros.

Alguns profissionais recorrem a grupos nas redes sociais. Nesse caso, converse com membros do grupo e verifique se existem reclamações sobre a divisão das comissões.

Independentemente se você faz parte de uma comunidade virtual ou com pessoas que já conhecia, é muito importante que a forma de divisão do lucro esteja clara.

O método mais comum para dividir comissão em parcerias imobiliárias é o meio a meio. O corretor que apresentou o comprador fica com metade da comissão e a outra parte é destinada ao profissional que mostrou o imóvel.

Contudo, nem sempre esses dois corretores fazem parte da mesma comunidade. É possível que um terceiro profissional seja o elo entre os dois. Nesse cenário, a divisão da comissão pode ser feita da seguinte forma: 1% para o corretor que apresentou os dois profissionais e 2% para cada um dos dois corretores restantes.

Uma última sugestão é elaboração de um contrato de parceria imobiliária. Esse documento deve ser redigido de forma clara, de preferência com o apoio de um advogado imobiliário.

As desvantagens das parcerias imobiliárias

A principal desvantagem é a divisão de lucros. Caso você possua uma boa rede de contatos, uma carteira de clientes já estabelecida e uma estratégia de marketing eficiente, talvez você não precise das parcerias imobiliárias.

Os possíveis desentendimentos causados por falhas de comunicação, de personalidade ou de atuação são outra desvantagem desse processo. Muitos profissionais têm diferentes formas de atuar e as parcerias acabam dando errado por isso.

As vantagens das parcerias imobiliárias

A principal vantagem é a otimização das vendas, pois o corretor terá acesso a diversos imóveis e clientes. Muitos corretores, recém-chegados ao mercado, não têm informação, experiência profissional e nem uma rede de contatos estabelecida. Isso dificulta as vendas, fazendo com que desanimem da corretagem.

As parcerias imobiliárias podem servir como uma rede de proteção para o jovem profissional. Ademais, em um momento de recessão econômica, pode ser mais vantajoso ficar com metade de uma comissão do que não ter lucro algum.

Como vimos neste artigo, as parcerias imobiliárias podem ser usadas para aumentar as vendas e fortalecer a marca de um corretor de imóveis, possibilitando o crescimento de sua atuação.

Se você gostou deste artigo, compartilhe-o com seus colegas corretores em suas redes sociais. Quem sabe daí não surge uma parceria? Até a próxima!

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Faça uma simulação e financie até 82%