Mercado Imobiliário

Remarketing de imóveis: o que é e por que fazer?

Entrou em um site e foi surpreendido justamente pelo anúncio de um produto que você já tinha pesquisado antes? Isso nada mais é do que o resultado de uma estratégia denominada remarketing. A intenção é fazer com que o comprador, mesmo após deixar a página da compra, se interesse pelo produto novamente.

O remarketing de imóveis, por exemplo, já é um recurso bastante utilizado no mercado imobiliário. Isso porque, quanto mais o comprador interagir com o produto, maiores serão as chances de converter a venda rapidamente. Continue a leitura e entenda melhor como funciona!

O que é remarketing?

Remarketing é o nome da ferramenta de retargeting do Google, sendo que ambas podem ser consideradas sinônimas. Trata-se de uma função do Google Ads na qual os caminhos percorridos pelo usuário ficam registrados em seu computador por meio de cookies.

Desse modo, sempre que o usuário visitar outras páginas que também exibam anúncios afiliados, os cookies vão ativar a visualização dos produtos com os quais ele já interagiu. Trata-se de uma estratégia simples embora muito eficaz de marketing digital, servindo como aquele “empurrãozinho” que faltava para o cliente rever o produto e fechar a compra.

Como aplicar o remarketing na venda de imóveis?

Apesar de ser uma técnica simples, um bom remarketing demanda planejamento. É preciso pensar estrategicamente para utilizar a tecnologia a seu favor e desenvolver a melhor campanha visando a clientela potencial.

Planeje o remarketing conforme diferentes estágios de um funil de vendas, de modo a atingir seu público-alvo em cada uma dessas etapas, considerando-se os seguintes aspectos:

  • estágio de consciência — o usuário começa a pesquisar sobre o assunto, sem necessariamente estar decidido pela compra;
  • estágio de consideração — o usuário já conhece o que procura e está considerando efetuar a compra (trata-se da fase de comparar preços, pesquisar indicações etc.);
  • estágio de compra — momento em que o usuário está decidido a fechar o negócio;
  • estágio de fidelização — momento pós-compra, quando deverão ser pensadas novas estratégias para futuras conversões.

Importante ressaltar que o período médio para desenvolver a estratégia de remarketing é de cerca de 30 dias. Após esse período, normalmente os cookies registrados no computador do usuário são automaticamente apagados e, portanto, os anúncios deixarão de aparecer para ele.

Quais ferramentas são utilizadas para fazer remarketing?

Como já adiantamos, uma das ferramentas mais utilizadas para fazer remarketing é o Google Ads. Assim, quando o Google identifica o cookie relacionado à visualização de determinado anúncio, ele passa a ser novamente exibido para o usuário, aumentando as chances de interação com o produto e de efetivação da compra.

Para ter certeza de que a estratégia será bem-sucedida, priorize dois passos básicos no desenvolvimento do remarketing. O primeiro deles é o planejamento da campanha, definindo os objetivos a partir da análise do cenário, da concorrência e, sobretudo, do seu público-alvo.

Em seguida, preocupe-se com a seleção de palavras-chaves. Escolha palavras relevantes para que seus anúncios possam ser facilmente encontrados nos mecanismos de busca do Google. Por exemplo: se a sua imobiliária não trabalha com casas — somente com apartamentos — a palavra “casa” deverá ser evitada.

Não se trata de sorte, e sim de tecnologia e planejamento. Com um pouquinho de prática, não vai ser difícil desenvolver boas estratégias de remarketing de imóveis com foco no consumidor final. Fique atento ao seu público-alvo e planeje-se!

Assine nossa newsletter e receba em primeira mão mais conteúdos como este!

Faça uma simulação e financie até 82%

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.