Conteúdo em áudio Mercado Imobiliário

Veja essas 9 dicas para escolher o melhor bairro para morar

Ouça essa matéria.

Qual é o melhor bairro para morar? Essa é uma das considerações mais importantes que você precisa fazer antes de investir seu dinheiro e comprar um imóvel.

Além de garantir facilidades como transporte público, ruas asfaltadas, padarias, supermercados e hospitais com fácil acesso, essa observação também pode ser importante para avaliar os índices de violência da localização e, claro, a projeção do seu desenvolvimento estruturado ou não.

Quer saber como fazer um checklist de tudo que precisa ser observado sobre a região e o bairro do imóvel que você vai comprar? Então, confira as dicas que listamos neste post.

1. Avalie a qualidade do trânsito local

Um dos pontos mais críticos das grandes cidades tem sido o trânsito de carros. As pessoas perdem minutos preciosos em engarrafamentos e se estressam.

Uma dica valiosa, portanto, é avaliar a qualidade das condições de trânsito da região. Existem muitas linhas de ônibus, metrô? Há acessibilidade para o uso de bicicletas, patinetes motorizados e até pontos exclusivos de táxi, Ubers e outros aplicativos? E quanto aos sinais de trânsito, faixas de pedestres, rotatórias?

O mapa do trânsito é complexo, e, portanto, diversos fatores podem facilitar ou tornar a vida da família e de seus visitantes e funcionários um verdadeiro caos.

2. Considere se o imóvel está próximo dos locais que sua família mais visita

Além de avaliar a rede de trânsito, considerar a proximidade com locais que fazem parte da rotina familiar é fundamental.

Qual a distância para seu emprego, escolas das crianças, casas de familiares e amigos, por exemplo? Quanto mais perto, melhor.

Para um bairro ser acolhedor, precisa ter pessoas queridas por perto, promover boas experiências, trazer facilidades, e estar perto de tudo e todos é essencial.

Também é preciso considerar que existem urgências em que será preciso estar nesses locais o mais rápido possível. Além disso, se existe uma rotina regular de visitas, uma distância maior pode ser um motivo para desânimo ou desgaste.

3. Veja se existem centros comerciais por perto

Falamos no início deste post sobre a proximidade com farmácias, supermercados e áreas de lazer. Além de trazerem praticidade para a rotina dos moradores, tais facilidades também valorizam o imóvel.

Isso porque, da mesma maneira que isso é útil para você, também será para quem for comprar o imóvel futuramente, não é mesmo? Além disso, o movimento de tais centros comerciais atraem bons estabelecimentos, que querem estar próximos de seus clientes.

Centros comerciais possuem toda a infraestrutura necessária para facilitar a rotina da família, garantir a qualidade de vida e a possibilidade de resolver todas as pendências comuns a poucos passos de casa.

Um pão saindo do forno da padaria, uma drogaria 24 horas para uma emergência ou um restaurante delicioso para comemorar o final de semana chegando são verdadeiros achados, não é mesmo?

Perto de casa, com facilidade para estacionar e sem o estresse das regiões mais movimentadas, então, é melhor ainda!

4. Observe a infraestrutura do bairro

Do ponto de vista mais prático e básico, é preciso avaliar a infraestrutura do bairro. Questões como o asfalto das ruas, semáforos, rede de esgoto, fornecimento de água, proximidade com barragens de minério, áreas de alagamento, entre outros, devem ser minuciosamente estudadas.

Muitas vezes os compradores focam exclusivamente nas características do imóvel e esquecem desses elementos, que podem comprometer a qualidade de vida e a valorização do bem.

É nessas horas, inclusive, que um corretor de imóveis também pode ajudar. Por conhecerem os bairros e as características da região, esse profissional sabe até quais são as centrais de abastecimento de água, se acontecem quedas de eletricidade frequentemente e se existem opções variadas de empresas de televisão a cabo por lá.

5. Visite o bairro em diferentes horas do dia

O trânsito local pode mudar completamente durante as horas do dia, assim como o movimento das ruas. Algumas regiões mais boêmias, por exemplo, tem uma vida noturna mais agitada, e quem busca sossego pode não querer morar em um bairro mais movimentado.

6. Pergunte ao corretor de imóveis qual é o melhor bairro para morar

Especialistas, os corretores de imóveis lidam com o mercado diariamente e sabem quais as regiões estão sendo valorizadas, ampliadas, renovadas ou deterioradas.

Uma boa conversa com o corretor de imóveis pode esclarecer muitas dúvidas e também ajudar a descobrir qual é o melhor bairro para morar.

7. Avalie se existem áreas para crescimento e a vizinhança

Dentre as informações que o corretor de imóveis pode passar, está o crescimento da região e a possibilidade de haverem construções irregulares no local, por exemplo.

O surgimento de construções irregulares, infelizmente, é um movimento comum tanto em áreas urbanas como em regiões mais afastadas e rurais e pode colocar em risco a integridade de outras pessoas.

8. Não se esqueça de pesquisar sobre a segurança da área

Cada região e bairro possui um conjunto de prós e contras, e a segurança é sempre um ponto frágil.

Algumas regiões são mais inseguras pelo movimento de atividades ilícitas, outras, pela proximidade com características que aumentam a possibilidade de desastres naturais, como encostas de morros.

Outras intervenções humanas também podem aumentar a insegurança de uma área, como a construção de barragens de minério ou o fechamento de rios, que, em dias de chuva forte, podem alagar avenidas e bairros inteiros.

9. Despesas com IPTU e taxas urbanas

Não deixe de pesquisar também taxas urbanas. Apesar de serem convertidas em melhorias para a região, como aquelas para recolhimento do lixo urbano, por exemplo, elas devem entrar nas despesas fixas mensais da família.

É claro que é preciso avaliar também as características do imóvel, mas, depois de tomar a decisão, solicitar o financiamento e todos os trâmites cartorários, inverter o processo, ou seja, vender novamente o imóvel por alguma insatisfação que não havia observado, é muito mais difícil, gerando impedimentos legais e até mesmo prejuízos.

No final das contas, o melhor bairro para morar não necessariamente é o que possui o metro quadrado mais caro, e sim aquele que vai atender suas necessidades garantindo qualidade de vida e momentos de descanso e lazer.

Acha que essas dicas para procurar o melhor bairro para morar podem ser úteis para seus amigos ou parentes? Então, compartilhe agora mesmo em suas redes sociais e não esqueça de marcá-los!

Faça uma simulação e financie até 82%

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.