Mercado Imobiliário

Posso alugar um imóvel em Curitiba com o nome “sujo”?

Ouça essa matéria.

Não existe garantia mais recomendada; tudo depende do que cabe no seu orçamento e nas necessidades da sua família. Para tomar essa decisão, é necessário conhecer as modalidades e avaliar as exigências com cautela. Quer saber qual a ideal para você? Tem dúvidas sobre como funciona o seguro-fiança, o aluguel por meio de fiador e compra de título de capitalização? Confira o guia que preparamos para você e faça sua escolha!

Como funciona o seguro-fiança?

O seguro-fiança é ideal para aqueles que têm dificuldades em encontrar um fiador ou avalista, já que as pessoas temem se comprometer dessa forma e existe todo um constrangimento na hora de fazer esse pedido a um amigo ou familiar. O seguro é a contratação de uma apólice que assegura o pagamento ao locador e custa, em média, 30% do valor do aluguel. Se você procura uma Kitnet para alugar em Curitiba por R$ 800, por exemplo, seu gasto mensal pode ser de R$ 960 a R$ 1040.

Uma das vantagens é que o pagamento do valor anual pode ser feito em até dez parcelas, o que facilita a vida daqueles que não podem fazer um pagamento de caução à vista. Com as parcelas diluídas mês a mês, o locatário pode alugar seu imóvel com a confiança de que o proprietário do imóvel não será lesado.

Outra característica positiva do seguro-fiança é que ele, em geral, pode cobrir danos e avarias no imóvel, como o desgaste das pinturas, por exemplo. Ou seja, ao final do contrato, você não precisará se incomodar com a contratação de pintores e pode concentrar todas as suas energias na hora da mudança e nos gastos que essa nova fase exige.

Como funciona o aluguel com fiador?

O fiador é a pessoa que assina no contrato de aluguel que arcará com as despesas no caso de inadimplência do locatário. Ele deve ter um imóvel quitado e precisa comprovar uma renda mensal de três a quatro vezes o valor do aluguel para que o proprietário se assegure de que não será lesado financeiramente.

É preciso que haja uma relação de extrema confiança entre locatário e fiador, já que é um comprometimento que envolve riscos judiciais e financeiros. Os contratos de aluguel afirmam que o fiador será o responsável pelos pagamentos mensais até que o inquilino deixe de ser inadimplente. Se você pretende conversar com alguém para ser seu fiador, é importante provar que seus rendimentos são capazes de arcar com os gastos e conquistar a total confiança de quem vai lhe auxiliar nesse processo.

Se no contrato o fiador concordar que é responsável subsidiário, seu imóvel pode ser penhorado por meio de ação judicial. Entretanto, caso seja acordado que ele é responsável solidário, o fiador só responde pela dívida após os bens do inquilino serem executados.

Não se esqueça de que, quando uma pessoa aceita ser fiadora, é porque deposita em você sua total confiança. Procure cumprir com suas obrigações financeiras e evite constrangimento.

Como funciona o título de capitalização para aluguel de imóvel?

Outra garantia prevista pela Lei do Inquilinato é o Título de Capitalização Para Aluguel. Nessa modalidade, o inquilino contrata um título no valor decidido pelo proprietário do imóvel. Em geral, esse valor é de seis a 12 vezes o valor mensal do aluguel, com mínimo de R$ 2 mil.

Para contratar esse serviço, é preciso que o inquilino procure por uma financeira ou instituição bancária que ofereça o serviço específico de título de capitalização para locação. Em caso de inadimplência do locatário, o locador pode resgatar o valor corrigido e evita ser prejudicado financeiramente.

A desvantagem é que esses títulos de capitalização exigem pagamento único, ou seja, se o valor do título acordado com o locador for de R$ 10 mil, é preciso que você pague esse valor à vista.

Além de o título de capitalização para aluguel assegurar que o locador não será lesado financeiramente, essa modalidade oferece sorteios mensais em dinheiro. Ou seja, embora o título não tenha os maiores rendimentos, o inquilino pode ser contemplado e receber mais do que planejava.

A vantagem é que você pode negociar esse valor com o proprietário do imóvel em que você tem interesse. Caso ele exija uma quantia de que você não dispõe, é possível que vocês entrem em um acordo que caibam no seu bolso e atendam às necessidades do locador.

Embora a Lei do Inquilinato permita que pessoas com restrições no CPF aluguem o imóvel com mais facilidade, é necessária cautela redobrada para que os valores sejam pagos em dia e não acumulem. Se você procurar casas para alugar em Curitiba e atrasar, a lei permite que ocorra o despejo em 15 dias, caso os valores atrasados não sejam quitados.

As garantias asseguradas pela lei devem ser vistas como uma oportunidade para quem tem restrições de crédito, e não como passe livre para atrasos e falta de pagamento. Atrasos implicam em ações judiciais e prejuízos financeiros, já que existem altas taxas de juros e multas aplicadas em caso de inadimplência.

Além de essas modalidades de garantia para o proprietário facilitarem a vida daqueles que não conseguem um fiador ou o valor de caução, elas aumentam o número de contratos firmados e estimulam a economia brasileira. Você já alugou um imóvel mesmo com restrições no seu nome? Está com o nome “sujo” e pretende utilizar uma dessas garantias? Tem alguma dúvida? Escreva para a gente!

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Faça uma simulação e financie até 82%