Conteúdo em áudio Financiamento Imobiliário

Imóvel novo ou usado: o que devo escolher?

Ouça essa matéria.

Na hora de escolher entre um imóvel novo ou usado, várias questões práticas precisam ser consideradas para não trazerem dor de cabeça ou insatisfação depois da compra.

Claro que esse momento também envolve sentimentos e expectativas que precisam ser consideradas. O bairro mais charmoso, o apartamento que lembra a infância ou aquele que tem o quintal ideal para os bichos de estimação também podem pesar na decisão.

Então, como escolher? Uma boa estratégia é criar uma lista de critérios que envolvam tanto os desejos pessoais como as questões estruturais do imóvel, que também devem ser levadas em conta para não causar arrependimentos depois.

Neste post, você encontra os pontos que vão ajudar a definir em qual deles investir: apartamento novo ou usado. Quer tomar sua decisão de uma vez por todas? Então, continue a leitura agora mesmo.

Histórico de sucesso da construtora

O histórico da construtora responsável pela construção é muito importante, tanto para os imóveis novos quanto para os antigos.

Isso dará uma pista sobre a qualidade da estrutura, se ela possui bons acabamentos, se a construtora tem um bom relacionamento e suporte para seus clientes e muito mais.

No caso de imóveis novos que podem ser comprados na fase de construção, a saúde financeira da construtora e histórico de entrega dentro do prazo estabelecido também são considerações importantes.

Por isso, se você precisa entregar outro apartamento ou vai casar e começar a mobiliar o futuro lar, um imóvel já construído pode ser uma escolha mais segura.

Informações sobre características da construção do imóvel novo ou usado

Ainda como parte da avaliação da qualidade da construtora, é preciso considerar quais os tipos de materiais foram usados em sua estrutura e acabamento.

Essa informação pode definir a valorização, assim como o investimento que deverá ser realizado em sua manutenção preventiva e regular. Isso também vale para as funções hidráulicas do imóvel.

Prédios com acabamentos em pintura externa, por exemplo, precisam regularmente de terem sua faixada refeita. Aqueles com pastilhas muito pequenas podem ter suas peças arrancadas com o tempo.

Se não deseja gastar tempo e dinheiro com manutenções regulares, imóveis novos podem exigir menos investimentos de reparos.

Regime de construção do imóvel

Imóveis usados podem ter diferentes fases de construção, com partes adicionadas posteriormente provenientes de melhorias ou reparos necessários.

Imóveis novos também podem ter um regime de construção interrompido por falta de verba da construtora, condições climáticas ou por questões legais que levam ao seu embargo.

Assim, é importante avaliar se o aumento da área construída e as reformas foram executadas seguindo as normais legais para tal, como a atuação de um engenheiro responsável.

No caso dos imóveis novos, é importante saber que eles podem ter seu valor diminuído dependendo do tempo em que ficaram parados, dos motivos do embargo e até mesmo das condições climáticas a que a estrutura, ainda em fase de construção, foi submetida.

Se estiver na dúvida entre um imóvel novo e outro usado, use esses fatores na comparação ou para negociar descontos no preço pedido.

Formas de pagamento passíveis de serem escolhidas

A forma de pagamento a ser utilizada para a compra também é importante. Comprar direto na planta com a construtora costuma ter um regime de pagamento mais intenso, com parcelas semestrais além do ciclo mensal.

Casas negociadas diretamente com os atuais proprietários também podem ter algumas questões de ajuste pessoal, como a impossibilidade de aceitar outro imóvel ou bem na compra.

O financiamento imobiliário, por sua vez, é a alternativa para esses casos já que repassa o valor do imóvel integralmente para o antigo proprietário e inicia uma relação de pagamento com seu cliente.

Mas, atenção: dependendo da fase de construção do imóvel, ele fica restrito ao que é ofertado pela própria construtora, o que limita as opções do comprador.

O apoio de um corretor de imóvel, nesses casos, pode poupar uma série de dores de cabeça, inclusive para reunir os documentos necessários, fazer a cotação da melhor taxa de juros do financiamento etc.

Se o apoio de um especialista que facilite o processo para a compra é determinante, imóveis já finalizados e antigos podem ser a melhor escolha.

Impressões e expectativas ao avaliar a planta de um empreendimento

Ao analisar plantas de imóveis ainda em construção, é normal que as expectativas e sonhos voem alto. Mas é preciso ter cuidado. Afinal de contas, é uma representação em escala que pode dar impressões diversas.

No caso do imóvel usado, a impressão também deve ser gerenciada. Isso porque uma casa ou apartamento vazio ou com algumas reformas a serem feitas podem esconder detalhes passíveis de desagradar os futuros moradores.

Se estiver comparando um e outro, administre as expectativas e tenha a mente aberta para comprar o imóvel certo para suas necessidades de forma realista e prática.

Valores cobrados pelos imóveis

Considerando as mesmas condições de bairro, tamanho do imóvel e demais características estruturais, o preço daqueles já usados anteriormente tendem a ser menor.

Ou seja, se o critério preço estiver no topo das considerações do comprador, é possível que ele consiga melhores opções de compra nos imóveis usados.

Necessidade de reformas nos imóveis novos e usados

Os imóveis usados, mesmo que administrados anteriormente por imobiliárias, normalmente precisam de reformas em suas funções hidráulicas, para instalar máquina de lavar e outros eletrodomésticos, por exemplo.

Apartamentos novos também podem precisar de personalizações, projetos luminotécnicos e gesso no teto.

Por isso, se não quer gastar muito além do financiamento, considere o quanto precisará ser investido depois da compra.

Condições legais e cartorárias dos imóveis

Apartamentos e prédios novos precisam do Habite-se, que é o auto de conclusão da obra, para que seus moradores possam se mudar para ele.

Ao comprar um imóvel novo, é importante avaliar se ele já está legalmente liberado para a mudança.

Já os móveis antigos podem ter outras pendências tributárias, como atraso de pagamento do IPTU, falta de autorização para construções adjacentes como coberturas, atraso na taxa de condomínio etc.

Fazer uma busca sobre as condições, possíveis questionamentos familiares, inventário e impedimentos da Prefeitura também é muito importante.

Ou seja, tanto o imóvel novo quanto o usado podem ter questões a serem resolvidas. Coloque em suas considerações de escolha o quanto tais problemas podem trazer dores de cabeça e novos gastos.

Além disso, em caso de financiamento, tais pendências podem inviabilizar a retirada de alguns documentos, e, portanto, impedir a negociação.

Se o financiamento é a forma de pagamento escolhida, imóveis com pendências, independentemente de suas condições de uso, devem ser cortados da escolha se a compra for imediata, pois pode demorar um bom tempo até que tais problemas sejam solucionados.

Com esses critérios e ponderações práticas, a escolha entre um imóvel novo ou usado pode seguir para os aspectos emocionais que envolvem os desejos e sentimentos dos compradores envolvidos.

Gostou dessas dicas? Conhece alguém que esteja precisando delas? Então, não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

financiamento imobiliario

 

Faça uma simulação e financie até 82%

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.