Financiamento Imobiliário

Quanto é preciso juntar para dar a entrada do apartamento?

Entrada do apartamento, ouça essa matéria para saber mais.

Ter uma moradia própria e se livrar do aluguel é um sonho compartilhado por muitos brasileiros. No entanto, nem sempre é fácil dispor de um grande montante de dinheiro para pagar à vista um dos bens que podem ser os mais caros da sua vida. É aí que entra a importância do financiamento imobiliário.

Esse processo é capaz de fazer as parcelas de um imóvel novo caberem no seu bolso, mas requer muita atenção e planejamento, principalmente com os valores necessários a se desembolsar no início.

Neste post, você vai descobrir quanto precisa para dar a entrada do apartamento dos sonhos e aprender a superar o primeiro desafio financeiro da aquisição de um imóvel que será só seu. Acompanhe!

Calcule o valor certo

Para definir quanto será preciso economizar, é preciso levar em conta o valor total do imóvel. Com exceção do programa “Minha Casa Minha Vida“, as linhas de crédito no mercado estabelecem que o valor de entrada de um apartamento seja estimado em pelo menos 10% do seu valor.

Isso significa que, se você deseja adquirir um imóvel que custa R$300 mil, precisará entregar, no mínimo, R$30 mil reais para dar início ao financiamento.

É importante lembrar que, além desse sinal, também será preciso lidar com outros gastos, como possíveis comissões de corretagem, certidões, ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Móveis) etc.

Sendo assim, o recomendado é juntar cerca de 20% do valor total do imóvel para quitar a entrada.

Por mais que seja difícil investir tempo e recursos para poder arcar com a entrada de um financiamento, lembre-se de que, quanto maior for o valor pago no início, menos comprometido você ficará com o pagamento das parcelas no futuro, e menores serão os juros cobrados pela instituição financeira. É um esforço que, com certeza, vale a pena.

Entenda como economizar

Reorganizar as finanças de toda a família e estabelecer a entrada do apartamento como um compromisso que deve ser cumprido a longo prazo é fundamental para criar um planejamento financeiro completo, que inclua o saldo do FGTS, economias atuais e o valor que ainda deverá ser conquistado.

Também é preciso analisar a perspectiva salarial para garantir que o pagamento das parcelas não comprometa o orçamento no futuro. Para isso, alguns especialistas recomendam que o valor das prestações não ultrapasse 30% da renda mensal do comprador.

Consulte as condições de cada instituição

Atualmente, diversas instituições disponibilizam simuladores gratuitos, que podem ser de grande valia para estimar os gastos com as parcelas e com a entrada do apartamento. Além disso, também é preciso comparar as condições para concessão de crédito imobiliário e valor das taxas cobradas em cada banco, para encontrar a opção que seja mais econômica.

Por fim, nunca se esqueça de que, antes de fechar o processo de entrada do apartamento, é preciso negociar sempre. É possível obter várias vantagens e condições de pagamento especiais perante o banco e o proprietário se o comprador souber apresentar propostas interessantes. Na dúvida, um bom corretor pode ajudar você nessa missão.

Gostou do post? Se você achou que essas informações foram úteis, aproveite para saber o que observar na vistoria do apartamento novo e aprenda um pouco mais sobre os procedimentos necessários para realizar o sonho de ter a própria moradia!

 

Acompanhe

Acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Faça uma simulação e financie até 82%